Roteiros
Os melhores lugares

11 774

Bariloche, na Argentina, é uma boa opção para se passar as férias de inverno. As temperaturas abaixo de 10ºC já iniciam em abril, e a temporada para esportes na neve segue até setembro ou outubro. Mesmo quando chega o verão, as noites são frias e o branco das montanhas custa a derreter. A vantagem é a luz solar, que permanece até as 22h. Os turistas podem conhecer os picos gelados através de teleféricos, trenós, pistas de esqui, motos e calçados especiais para caminhadas na neve.

De acordo com a agente de viagens Claudia Fonseca, que há dez anos atua na área de turismo, hoje em dia é muito fácil viajar. “Qualquer pessoa pode se programar. As condições de pagamento são facilitadas, com alguns roteiros parcelados em até dez vezes sem juros em cheque, cartão de crédito ou boleto bancário”, detalha.

Além disso, todos os pacotes aéreos da empresa onde trabalha incluem, no mínimo, passagens, passeios com guia, hotéis e café da manhã. E cada roteiro possui o seu diferencial, com visitas, shows. Para Bariloche com saída em agosto, o valor fica em 1.038 dólares para oito dias.

Ainda na Argentina, Buenos Aires é muito procurada para turismo no inverno. Em cinco dias, o visitante conhece a cidade. O bairro Palermo, com seus parques e edifícios, além do Palácio Tribunal, Congresso Nacional, Cabildo e Casa Rosada. E quem vai à capital argentina não pode perder um tradicional show de tango.

Ainda é possível conhecer o Cassino de Buenos Aires: um cassino flutuante que funciona em uma embarcação antiga de quatro andares tipo Mississippi. Tem capacidade para mais de 2,5 mil pessoas em uma superfície de 2,7 mil metros quadrados. Possui 600 máquinas e cem mesas de jogos com roleta, pôquer, black jack, ponto e banca. O pacote pode ser adquirido a partir de 558 dólares.

Quem gostou dos dois roteiros, tem a possibilidade de comprar um pacote de viagem para Bariloche e Buenos Aires. Com saída ainda em maio, custa 1.028 dólares para oito dias. É importante lembrar que todos os valores de pacotes aéreos têm acréscimo da taxa de embarque do aeroporto.

0 525

Verão é sinônimo de férias, de praia, de viagem. É quando o clima de aventura está à flor da pele. Entretanto, não é apenas nessa época do ano que é possível se divertir. Existem muitos roteiros turísticos para relaxar e aproveitar as férias de inverno. Com o baixo valor do dólar, que anda na média de R$ 1,75, o preço dos pacotes de viagem está mais acessível

Uma boa pedida para os dias de frio é conhecer locais como Machu Picchu, no Peru. A cidade foi uma fortaleza encravada em uma área de difícil acesso nos Andes, escondida na floresta tropical e construída em um local privilegiado a 2.450 metros acima do nível do mar, em meio a montanhas sagradas para os incas, água corrente e um alinhamento celestial quase perfeito, especialmente para a passagem do deus sol.

O clima é bastante característico: varia entre a estação das chuvas, de setembro a abril, e a da seca, que vai de maio até agosto. A temperatura média anual é de 13ºC. Nos dias mais quentes do verão, pode chegar a 26ºC. Já o inverno marca temperaturas negativas. Os templos, casas e cemitérios estão distribuídos de maneira organizada, com ruas e escadarias. Degraus de pedra levam a místicos templos feitos com blocos de granito branco, montados uns sobre os outros sem argamassa, no estilo da arquitetura inca.

Uma grande atração na cidade é o Templo do Sol, construído de forma semi-circular sobre uma imensa pedra . A parede possui duas janelas, uma em direção ao oriente e outra voltada para o norte. Desta última, pode-se observar o solstício de inverno baseado nas projeções e medições de sombras na rocha central. No centro do templo, encontra-se um altar talhado na própria rocha. Acredita-se que era utilizado nas cerimônias em honra ao Sol.

Em um pacote rodoviário, é possível aproveitar cada minuto da viagem. “O ônibus vai parando no caminho, em pontos turísticos, até chegar ao destino. Não se perde nada nesses roteiros”, conta a agente de viagens Claudia Fonseca. Além de Machu Picchu, o roteiro da empresa onde trabalha inclui passagem pelo Pantanal e pela Bolívia, em Santa Cruz de La Sierra, La Paz, Cochabamba e Puerto Suarez.

O passeio dura 14 dias, do ponto de partida até a volta, e custa R$ 1.980. Estão inclusas as hospedagens em hotel com café da manhã, o transporte e city tours com guias locais, além de passagens para o “Trem da Morte” e para o “Ferro-Bus”. “A viagem de ônibus é muito válida para quem tem disponibilidade de tempo. Se conhece diversos lugares tanto na ida quanto na volta, e é mais acessível economicamente”, ressalta Claudia.Uma viagem aérea para o mesmo destino, com duração de seis dias, custaria 1.817 dólares com saída em junho.

Post de mariborba

STAY CONNECTED